30 maio 2007

O futuro hoje

(Trecho de um diário escrito para meu filho, quando ainda estava em gestação, com data de 08/09/96. Dez anos depois, vejo se concretizarem as previsões de então)

[...] E veja só o que diz o antropólogo Claude Lévi-Strauss, hoje com 88 anos de idade, sobre os impactos da informática e da Internet na vida das pessoas, em entrevista à Folha:
Folha - A sociedade está cada vez mais marcada pelo computador e a Internet. Em breve, entraremos no terceiro milênio, no seio de uma civilização que vai prescindindo cada vez mais das relações tal como as conhecemos. O que os cientistas sociais vão se tornar?
Lévi-Strauss - Ouça, serão outros seres humanos. Será uma outra "raça" de homens. É muito difícil para mim julgar como será. Eu não me aproximo de um computador e uso ainda uma máquina de escrever mecânica. Mas virão outros homens que saberão pensar com esses instrumentos, com um pensamento absolutamente distinto do nosso, atual. Seria talvez absurdo fazer-se uma previsão com uma certeza de cálculo, mas certamente isso tudo não apresentará nenhum relação com o que conhecemos no presente.

Você fará parte dessa nova “raça” de seres humanos que aprenderá o idioma da informática como uma língua materna. Nós, assim como imigrantes adultos, tentamos arduamente nos alfabetizar, e jamais falaremos essa língua sem um forte “sotaque”. Tentamos nos apropriar dessa linguagem, mas talvez nossa sintaxe jamais deixe de ser completamente aquela das máquinas de escrever mecânicas. Não é sem razão que lhe contei que para nós o computador ainda é em grande medida uma máquina de escrever (e de calcular) mais moderna. Para você, será muito mais do que isto. Será um modo de pensar, de processar idéias, de representar o mundo...
Há sempre os profetas do caos, os porta-vozes do pessimismo, para quem a Internet não passa de um instrumento de alienação das pessoas, de isolamento, de empobrecimento das relações interpessoais, etc., etc., etc.. (por enquanto menos de 1% da população mundial tem acesso à Internet. É muito cedo para se fazer previsões). Esse risco existe, sim. Espero ser capaz de ajudá-lo(a) a escapar a ele, e a fazer dos recursos tecnológicos de que você disporá caminhos para seu enriquecimento pessoal. Não será uma tarefa fácil...


Um comentário:

Velho Zé disse...

A informática é isso mesmo, maquina de escrever, calculadora e arquivamento em velocidade dos eletrons. A juventude irá conviver com ela como nossa geração conviveu com a Olivetti, a régua de cálculo e o arquivo em movel de aço. As relações pessoais não vão se alterar em sua profundidade, mas somente na extensão da quantidade de novos relacionamentos. Nossa linguagem será sempre a determinante, pois é nela que pensamos os algoritmos e não em termos de 0 & 1. A dúvida fica com o modo como utilizaremos a velocidade de acesso às informações armazenadas e processadas. Nossos filhos não poderão utilizar a desculpa de que não sabiam para justificar erros que cometerem.