23 novembro 2006

Lexicon (3)

CIÚME
Reação normal (com variados graus de intensidade), traço de personalidade ou expressão de doença, o ciúme é marcado por nuances de dor, insegurança, rejeição, muitas vezes desejo e até planos de vingança, ainda que apenas no âmbito da fantasia. Etimologicamente, a palavra ciúme tem entre seus sinônimos o vacábulo zelos (no plural), originário da evolução fonética do latim vulgar zelúmem, o qual, por sua vez, veio do grego, zelosus, que deu origem a jealous (ciumento) e jealousy (ciúme), em inglês, e, com os mesmos sentidos, jaloux e jalousie, em francês. Origem idêntica é encontrada no italiano geloso e no espanhol celoso.
Zelo, no singular, é apresentado também com outro significado: cuidar, tomar conta para que algo ou alguém por quem se tem apreço não se perca ou seja roubado. Embora zeloso não seja o mesmo que ciumento, transmite a idéia de propriedade agregada à afeição, que entra na conceituação primeira de ciúme. Medo de perda e ansiedade dão o tom de aflição e sofrimento que acompanha o ciúme. Em alemão, a palavra Eifersucht (ciúme) faz alusão ao fogo, a queimar. Eifer remonta à raiz indogermânica ai=arder, e sucht é um termo antigo usado para designar doença, dependência. Eifersucht, portanto, é a doença que arde.
Fonte: viver mente&cérebro, nov 2006, p. 54.
Lexicon (2)

Um comentário:

invisivel disse...

Impressionante,ainda estou gostando de ver este post.